Quinta-feira, 14 de Janeiro de 2010

Where the Wild Things Are - Um prato vazio a la carte

fama dos grandes gourmets tem destas coisas. Todos nesta sociedade vivem do estatuto social e quando um restaurante o adquire, o seu "chef" torna-se em la creme de la creme. Pode-se nunca ter provado um prato seu. Pode ficar-se chocado com aquela batata por cozer misturada com um fio de alface. Mas nunca ninguém deixa de o vangloriar. Nesta viagem bem pouco gastronómica visitamos um chef que nos oferece uma dessas refeições chic. E que espera que lhe espetemos com três estrelas do Guia Michelin por isso.

Entrar em Where the Wilds Things Are é um exercicio de paciência, indulgência e tranquilidade. Tudo o contrário do que desfila ao olhar do mais timido espectador, escondido num lugar onde poucos vezes a sua cara de sono. O grito que abre a festa transforma-se no silência que termina o dia. Como uma discussão de miudos, tudo começa aos saltos e empurrões e acaba na exaustidão de quem sabe que já cumpriu o seu papel social. Um filme sobre uma birra juvenil era algo que só Spike Jonze poderia produzir. E fê-lo, com todo o seu talento de chef metódico e provocador. Desse género que o Mundo tanto gosta de louvar com categorizações nunca inferiores a "farol da cultura ocidental". Assim estamos nesta viagem como estavamos na mente de John Malkovich ou no meio dos pantanos da Florida. Jonze, especialista em videoclips - uma arte por si só - gosta de provocar. Mas até para isso é preciso saber como fazê-lo. E não basta com escolher uma boa trilha sonora e trabalhar uma fotografia deliciosa. É preciso montar as peças do puzzle.

Quem se lembra do livro original que inspirou o filme deverá certamente estar como aqueles miudos que procuram o Wally. Onde está aqui o Wally? Onde estão as semelhanças?

Da história divertida de um miudo que cria o seu próprio mundo imaginário, habitado por violentos mas divertidos monstros, entramos numa viagem de auto-glorificação (e auto-comiseração) de Max. O jovem Max gosta de ser o centro das atenções. Tem o complexo de irmão mais novo. Tem o complexo de filhos de pais divorciados. E como qualquer miudos traquinas tem o seu pequeno e particular mundo. Mas Max é filho desta sociedade e a ele tudo lhe é permitido. Entre gritos Max quer ser o rei da casa. E quando lhe negam a sua supremacia natural, foge. E perde-se até achar que se reencontrou. No meio de meia-duzia de figuras felpudas e monstruosas. Tão violentas e deprimidas quanto ele. O povo perfeito para reinar. Só que o seu reinado, que prometia igualar os feitos do Rei-Sol, transforma-se num autêntico desastre para a pequena comunidade. E Max é assim forçado a confrontar-se com a sua natureza. Esclarecidos? Venha a sobremesa.

 

Sob um delicioso e diminuto gomo de uma tangerina - outra sobremesa bem original do chef Spike - somos forçados a perceber que o cinema é algo bem mais profundo do que nos querem fazer crer. Eleger heróis pop, autores de génio e maestros da inovação é uma inevitabilidade do complexo de inferioridade que acompanha grande parte do público e criticos. Especialmente estes. Jonze está, instalado confortavelmente nessa galeria. Para todos esses, Where the Wild Things Are é uma obra-prima a ser estudada nos mais complexos mestrados de sociologia. E Max Records a verdadeira next best thing de Hollywood e arredores. E não se esuqeçam de catalogar as vozes de actores do estofo de James Gandolfini como captivantes até à medula. Está tudo lá! Está?

Estes são os mesmos que pagam a conta do restaurante com um sorriso e ligam imediatamente aos amigos, só para dizer onde jantaram. Mas nós aqui sabemos que uma sandes de queijo e fiambre é só uma sandes de queijo e fiambre. Mas muitas vezes reconforta mais a alma do que o prato vazio que querem transformar num festim. E Where the Wild Things Are é isso mesmo, um filme absolutamente vazio. Tal como o seu autor.

 

Classificação -

 

Realizador - Spike Jonze

Elenco - Max Records, Catherine Keener, Mark Ruffalo

Productora - Warner Bros.

Classificação - m/12

Categorias:

Autor Miguel Lourenço Pereira às 09:59
Link do texto | Comentar | favorito
4 comentários:
De Tiago Ramos a 14 de Janeiro de 2010 às 10:57
Já eu sou apologista da ideia de, ao vermos este filme, nos deixarmos absorver e voltar à infância...


De Miguel Lourenço Pereira a 14 de Janeiro de 2010 às 11:15
Viva Tiago,

Essa é a ideia do livro original, um material de grande qualidade. Mas neste filme, que infancia é esta, disfarçada de crises psicologicas que na infancia nem sao perceptiveis.

Voltar à infancia é regressar ao sonho, á ilusao, á inocencia. O filme de Jonze, ao contrário do livro, é disfarçar os problemas de sociabilização dos adultos numa criança e no mundo que esta cria.

um abraço


De Tiago Ramos a 14 de Janeiro de 2010 às 11:32
Bem, já tenho o livro, brevemente verifico! ;)


De JBM a 15 de Janeiro de 2010 às 21:46
Atenção porque o livro não é esse que anda à venda nas fnacs desse país. O conto original tem apenas 9 parágrafos e pode-se encontrar facilmente online. O que anda à venda é uma espécie de novelização deste filme.


Comentar post

.O Autor

Miguel Lourenço Pereira

.Fundamental.

EnfoKada

.Janeiro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.Ultimas Reviews

Midnight in Paris -
The Ides of March -
A Dangerous Method -
Tinker Taylor Soldier Spy -
Drive -

.Classificação

Excelente-
Muito Bom-
Bom -
Aceitável-
Evitar-

.Pesquisa

 

.Ultimas Actualizações

. Por uma definição justa d...

. Oscarwatch - Melhor Filme...

. Oscarwatch - Melhor Argum...

. Oscarwatch - Melhor Actor...

. Oscarwatch - Melhor Actri...

.Do Autor

Em Jogo

.Categorias

. biografias

. cinema

. corpos...

. estreias

. festivais

. historia opinião

. mitos

. noticias

. obituario

. opinião

. oscares

. oscarwatch 2008

. oscarwatch 2009

. oscarwatch 2010

. oscarwatch 2011

. premios

. reviews

. rostos

. that´s the movies

. trailers

. todas as tags

.Blogs

35mm
7CineArt
A Gente Não Vê
A Última Sessão
Action Screen
Alternative Prision
Ante-Cinema
Antestreia
A Última Sessão
Avesso dos Ponteiros
Bela Lugosi is Dead
Blockbusters
Cantinho das Artes
Cine31
CineBlog
CineLover
CinemeuBlog
CineObservador
CineRoad
CineLotado
Cinema is My Life
Cinema Notebook
Cinema´s Challenge
Cinema Xunga
Cinematograficamente Falando
CinePT
Close Up
Cria o teu Avatar
Depois do Cinema
Dial P for Popcorn
Ecos Imprevistos
Estúpido Maestro
Febre 7 Arte
Final Cut
Grandes Planos
Gonn1000
Grand Temple
High Fidelity
In a Lonely Place
Jerry Hall Father
Keyser Soze´s Place
Maus da Fita
Movie Wagon
Mullolhand CineLog
My One Thousand Movies
My SenSeS
Noite Ameriana
Ordet
O Homem que Sabia Demasiado
O Sétimo Continente
Os Filmes da Gema
Pixel Hunt
Pocket Cinema
Portal do Cinema
Royale With Cheese
Split Screen
The Extraordinary Life of Steed
Um dia Fui ao Cinema
Voice Cinema



.Sites

c7nema
CineCartaz
Cine Estação
Cinema2000
Cinema-PT Gate
DVD Mania
DvD.pt
Em Cena
Lotação Esgotada
Cine História
Cinemateca Lisboa
Eu sou Cinéfilo
Portal Cinema

American Film Institute
British Film Institute
Cahiers du Cinema
Cinémathèque Francaise
Directors Guild of America
Internet Movie Database
Motion Picture Association
Screen Actors Guild
Screen Writers Guild
Sight and Sound
Telerama

Box Office Mojo
Coming Soon
Dark Horizons
Hollywood Reporter
JoBlo
Latino Review
Movie Poster

Premiere
Rope of Silicone
Rotten Tomatoes
Slash Film

Sun Times Chicago

Variety

.Premios e Festivais

Cesares
European Film Awards

Golden Globes
Goya

Oscares

Animation Film Fest
European Film Festival
Festival de Berlim
Festival de Cannes
Festival de S. Sebastian
Festival de Sundance
Festival de Veneza
Roma Film Festival
São Paulo Film Fest
Sitges Film Festival
Toronto Film Festival

Algarve Film Festival
Ao Norte!
Avanca
Black and White
Caminhos
Cinamina
Corta!
Curtas Vila do Conde
DOCLisboa
Fantasporto
FamaFest

Festroia

FIKE
Funchal Film Fest
Imago
Indie Lisboa
Ovar Video

.Oscarwatchers

And the Winner is...
Awards Daily
In Contention
Golden Derby
MCN Weeks
The Envelop
The Carpetbagger
Thompson on Hollywood

.Arquivos

. Janeiro 2013

. Fevereiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

.subscrever feeds