Segunda-feira, 24 de Janeiro de 2011

Hereafter - Fracasso sobrenatural

Depois de assinar uma série de filmes praticamente imaculados, Clint Eastwood consegue em Hereafter retroceder largos anos na sua notável carreira. Filme fraco a todos os níveis, significa também uma concessão do cineasta ao facilitismo argumentativo a que sempre soube escapar com audácia nos filmes que marcaram os momentos altos da sua cinematográfia. Nesta viagem a um universo se dúvidas metafísicas, o caminho faz-se de sombras e esteriótipos que não casam com a forma e estilo de um realizador que sempre soube explorar bem a faceta mais humana da vida.

 

 

 

Há uma confrangedora sensação de piloto automático que acompanha toda a longa e exasperante duração de Hereafter.

Clint repete-se até à exaustão numa história de vidas cruzadas que não funciona por base e que se extrapola por defeito num quebra-cabeças tormentoso e inoquo. Três vidas unidas pela morte que mergulham num final feliz que faz pouco sentido no meio de tanta dor, paliada até ao tutano por um abre-latas emocional que só aparece quando menos se necessita. A frieza moral e emocional das obras mais negras do realizador desaparece por completo do argumento pobremente assinado por Peter Morgan e do estilo de camara que adormece a narrativa, já de si explorada até ao inimaginável por uma banda sonora que relembra melhores dias mas que quadra pouco com a trama base que nos atira para este filme mosaico rachado em três.

Há uma pivot televisiva que sobrevive a um tsunami no sudeste asiático. Um adolescente londrino que se depara com a morte do irmão gémeo. E como elemento de união - pobre união de facto - um medium americano que não aceita a sua condição e que só quer viver uma vida normal. Os três caminham, sem saber, na mesma direcção para acabar por se encontrar, contra todo o prognóstico, numa feira livreira no coração de Londres. E já está. Tal e qual.

 

Cada filme dentro do filme podia existir por si só. Os três, em conjunto, perdem a força e emotividade que se podia esperar de uma obra assinada por aquele que é, sem dúvida, o mais completo cineasta actual. Se a história se centrasse no personagem de Matt Damon, num dos seus desempenhos mais sonrojantes, poderiamos ter um verdadeiro filme eastwoodiano, onde a solidão (sobre-explorada a cada plano) e a negação da sua própria existência encontra no filme os melhores momentos quando este se cruza no caminho de uma hiper-activa Bryce Dallas Howard. Essa natureza de negação individual choca com o resto do filme, motorizado por uma busca constante por algo que nunca é verdadeiramente esclarecido. Em certo forma, Clint Eastwood aproxima-se de outro dos seus filmes mais fracos, Midnight in the Garden of Good and Evil, outro filme que lidava com a vida para lá da morte e o universo paranormal, mas num registo bem menos sério e, portanto, mais facilmente suportável.

Aqui, pelo contrário, a história leva-se demasiado a sério e borda o ridiculo em variadas sequências que acabam por apagar os poucos bons momentos de suspense ou emoção com que nos deparamos pontualmente. Ficamos sem ter dois pontos de vista, duas explicações distintas sobre o mesmo. Somos forçados a acreditar na inevitabilidade do contacto com o mundo dos mortos, no poder de influência que estes mantêm sobre os vivos e na fatalidade que pauta o dia a dia de cada um dos protagonistas.

No final Damon e De France, o medium e a jornalista crente, encontram um amor que lhes é negado quando, precisamente, o amor, é o único aspecto que não faz sentido nesta história de crenças e experiências individuais com toques do sobrenatural. Sem trama a que se agarrar o filme só podia sobreviver se a direcção e as interpretações estivessem a bom nível. Mas nem aí nos deparamos com o nosso dia de sorte. Clint Eastwood está amorfo, sem imaginação e, principalmente, sem vontade de inovar. E a troupe do elenco é mais cinzenta ainda, desde um inimaginativo Damon a uma inexpressiva De France, passando pelo ar soturno dos irmãos McLaren. Pouco falta para Hereafter mergulhar o espectador num profundo estado de desespero.

 

 

 

No meio de tudo isto fica a sensação de que Eastwood não deu apenas um passo em falso. Após o genial Gran Torino (que culminou uma década perfeita, desde os dias de Bloodwork) fica a sensação de que, como todos os grandes de Hollywood (Wilder, Hawks, Ford, Capra, Copolla, Ray, Wyler e afins) se prepara para entrar na fase final da sua carreira com um ritmo mais contemplativo e, portanto, menos captivante. Um filme que pode ser apenas ou um hiato ou um sinal do que se possa esperar num futuro próximo. O certo é que Hereafter entrará na galeria dos projectos falhados de um realizador que, por muitos mais filmes do género possa vir a assinar, não deixará nunca de fazer parte do panteão dos maiores.

 

Classificação -

 

Realizador - Clint Eastwood

Elenco - Matt Damon, Cecille de France, Frank McLaren

Productora - Warner Bros.

Classificação - m/12

Categorias:

Autor Miguel Lourenço Pereira às 21:15
Link do texto | Comentar | favorito
4 comentários:
De Tiago Ramos a 24 de Janeiro de 2011 às 23:26
Fiquei completamente estarrecido e envergonhado, arrisco dizer. O filme é de uma pobreza tão grande, difícil de perdoar a um qualquer novato, quanto mais a Clint Eastwood.


De Miguel Lourenço Pereira a 25 de Janeiro de 2011 às 08:05
Tiago,

Foi a mesma sensação que senti. Não é só o guião que é um flop, mas mesmo a direcção, que habitualmente salva qualquer precalço, que não convence. É provavelmente o pior filme de Eastwood desde Bird, pior até que o sofrivel Midnight in Garden of Good and Evil. E fecha assim uma série quase imaculada de obras-primas atrás de obras-primas (onde só Changeling e Flags of Our Fathers destoam).

um abraço


De GoGaN a 26 de Janeiro de 2011 às 16:55
Estava com tantas expectativas para ver o filme, que no fim só se transformaram em desilusão.
Não creio ser o mesmo realizador que nos brindou com estes últimos filmes tão bons (mesmo os menos bons como A Troca).
Será que o Senhor teve alguma experiência paranormal e resolveu contar nos, mas esqueceu se de como se conta?

Desilusão a todos os níveis não há nada que o salve.


De Miguel Lourenço Pereira a 27 de Janeiro de 2011 às 08:12
GoGaN,

Todos os directores têm direito a um filme fraquinho e Clint há muito que não fazia um que nos esquecemos disso. O filme já à partida seguia uma premissa complexa que habitualmente não funciona. Tentar, a partir daí, fazer um filme mosaico com muito moralismo à mistura destroi todas as possibilidades de criar um ambiente harmónico...depois o caos é tão inevitável como o tsunami.

um abraço


Comentar post

.O Autor

Miguel Lourenço Pereira

.Fundamental.

EnfoKada

.Janeiro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.Ultimas Reviews

Midnight in Paris -
The Ides of March -
A Dangerous Method -
Tinker Taylor Soldier Spy -
Drive -

.Classificação

Excelente-
Muito Bom-
Bom -
Aceitável-
Evitar-

.Pesquisa

 

.Ultimas Actualizações

. Por uma definição justa d...

. Oscarwatch - Melhor Filme...

. Oscarwatch - Melhor Argum...

. Oscarwatch - Melhor Actor...

. Oscarwatch - Melhor Actri...

.Do Autor

Em Jogo

.Categorias

. biografias

. cinema

. corpos...

. estreias

. festivais

. historia opinião

. mitos

. noticias

. obituario

. opinião

. oscares

. oscarwatch 2008

. oscarwatch 2009

. oscarwatch 2010

. oscarwatch 2011

. premios

. reviews

. rostos

. that´s the movies

. trailers

. todas as tags

.Blogs

35mm
7CineArt
A Gente Não Vê
A Última Sessão
Action Screen
Alternative Prision
Ante-Cinema
Antestreia
A Última Sessão
Avesso dos Ponteiros
Bela Lugosi is Dead
Blockbusters
Cantinho das Artes
Cine31
CineBlog
CineLover
CinemeuBlog
CineObservador
CineRoad
CineLotado
Cinema is My Life
Cinema Notebook
Cinema´s Challenge
Cinema Xunga
Cinematograficamente Falando
CinePT
Close Up
Cria o teu Avatar
Depois do Cinema
Dial P for Popcorn
Ecos Imprevistos
Estúpido Maestro
Febre 7 Arte
Final Cut
Grandes Planos
Gonn1000
Grand Temple
High Fidelity
In a Lonely Place
Jerry Hall Father
Keyser Soze´s Place
Maus da Fita
Movie Wagon
Mullolhand CineLog
My One Thousand Movies
My SenSeS
Noite Ameriana
Ordet
O Homem que Sabia Demasiado
O Sétimo Continente
Os Filmes da Gema
Pixel Hunt
Pocket Cinema
Portal do Cinema
Royale With Cheese
Split Screen
The Extraordinary Life of Steed
Um dia Fui ao Cinema
Voice Cinema



.Sites

c7nema
CineCartaz
Cine Estação
Cinema2000
Cinema-PT Gate
DVD Mania
DvD.pt
Em Cena
Lotação Esgotada
Cine História
Cinemateca Lisboa
Eu sou Cinéfilo
Portal Cinema

American Film Institute
British Film Institute
Cahiers du Cinema
Cinémathèque Francaise
Directors Guild of America
Internet Movie Database
Motion Picture Association
Screen Actors Guild
Screen Writers Guild
Sight and Sound
Telerama

Box Office Mojo
Coming Soon
Dark Horizons
Hollywood Reporter
JoBlo
Latino Review
Movie Poster

Premiere
Rope of Silicone
Rotten Tomatoes
Slash Film

Sun Times Chicago

Variety

.Premios e Festivais

Cesares
European Film Awards

Golden Globes
Goya

Oscares

Animation Film Fest
European Film Festival
Festival de Berlim
Festival de Cannes
Festival de S. Sebastian
Festival de Sundance
Festival de Veneza
Roma Film Festival
São Paulo Film Fest
Sitges Film Festival
Toronto Film Festival

Algarve Film Festival
Ao Norte!
Avanca
Black and White
Caminhos
Cinamina
Corta!
Curtas Vila do Conde
DOCLisboa
Fantasporto
FamaFest

Festroia

FIKE
Funchal Film Fest
Imago
Indie Lisboa
Ovar Video

.Oscarwatchers

And the Winner is...
Awards Daily
In Contention
Golden Derby
MCN Weeks
The Envelop
The Carpetbagger
Thompson on Hollywood

.Arquivos

. Janeiro 2013

. Fevereiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

.subscrever feeds