Sexta-feira, 25 de Fevereiro de 2011

Oscarwatch 2010 - A máscara dos actores!

Eles são, de longe, o maior grupo individual constituinte da Academia. Eles são, de longe, a principal razão da popularidade da emissão da gala, com o mundo preso para ver o que fazem os seus idolos. São eles que dão cor à passadeira vermelha e são deles os discursos que passam à história. Vivem e trabalham com uma máscara e na noite dourada vestem outra, só deles, para subir ao palco e entrar na história.

 

 

 

 

MELHOR ACTOR PRINCIPAL

 

 

Há duas corridas que estão praticamente fechadas. Ontem comentamos o quão previsivel é a vitória de Sorkin. Tanto quanto a de Colin Firth.

 

O actor inglês deveria ter ganho no ano passado - o seu Single Man foi mais certeiro que o prémio de carreira entregue a Jeff Bridges, até este ano melhor que naquele Crazy Heart - e esse tipo de coisas pesa e muito. Especialmente se são dois anos consecutivos ao melhor nivel. Firth é popular em Hollywood desde os dias das suas adaptações austenianas. Passou por ser vilão, apaixonado irredutivel e introspectivo solitário. Mas é como o monarca Jorge VI que acabará por entrar no panteão dos oscarizados.

 

Um desempenho imenso que vale bem uma estatueta e que não tem rival. Jesse Eisenberg é demasiado novo (e a sua performance não é tão tocante e bem conseguida como se poderia imaginar). Jeff Bridges vem de uma vitória de carreira e será extremamente dificil que volte a ganhar. James Franco, co-apresentador da gala, terá o seu momento, é um dos novos idolos de Hollywood. Mas nenhum deles pode fazer sequer sombra a Firth.

 

Javier Bardem, popular entre a ala esquerda de Hollywood e fortissimo representante da comunidade latina seria, paradoxalmente, a grande ameaça ao inglês. O seu desempenho em Biutiful é imenso, certeiro e tocante. E desde Roberto Benigni que um actor europeu sem falar inglês não era nomeado à estatuta. Benigni ganhou contra rivais imensos. Bardem poderia emular o feito. Só ele pode fazer gaguejar o rei.

 

E o Óscar vai para - Colin Firth (The King´s Speech)

E a Surpresa é - Javier Bardem (Biutiful)

E o Óscar Devia ir para - Colin Firth (The King´s Speech)

 


 

MELHOR ACTRIZ PRINCIPAL

 

Annette Benning está destinada a ser a Deborah Kerr do século XXI? É bem possivel.

 

Depois de American Beauty e Being Julia o seu desempenho como mãe lésbica e controladora até a um extremo que poderá fazer perder o seu apreciado núcleo familiar em The Kids Are Allright, entra na galeria das grandes performances femininas da década. Mas não será suficiente. Nunca parece sê-lo. Este ano não é Hilary Swank (que a bateu por duas vezes) mas sim Natalie Portman o seu cisne negro. A sua nemésis.

 

Benning poderia ser a favorita sentimental de Hollywood mas Portman é também membra de pleno direito da realeza. Considerada como uma das poucas child-actors que singraram na idade adulta, Portman transforma-se até ao limite em Black Swan e assina um desempenho digno de um Óscar. A sua campanha de marketing, o seu ar de menina transformada em mulher (casada, grávida e tudo) ajuda a fechar o embrulho perfeito para Hollywood delirar uma vez mais na coroação dos seus próprios mitos.

 

Na corrida estão também a belissima e jovem Jennifer Lawrence que carrega às costas todo o peso do imenso Winter´s Bone, a ressuscitada Nicole Kidman como mãe atormentada em Rabbit Hole e talvez a mais certeira e intensa de todas as nomeadas, Michelle Williams, sublime em cada frame de Blue Valentine. Três nomes que contam pouco na corrida e que poderão juntar-se a Benning a ver o cisne branco desfilar.

 

 

E o Óscar vai para - Natalie Portman (Black Swan)

E a Surpresa é - Jennifer Lawrence (Winter´s Bone)

E o Óscar Devia ir para - Michelle Williams (Blue Valentine)

 

 

 

 

 

MELHOR ACTOR SECUNDÁRIO

 

Até ao momento em que o envelope se abra e MoNique pronuncie o nome do ganhador ninguém será capaz de adivinhar quem venceu a corrida mais renhida dos últimos anos.

 

Geoffrey Rush é o favorito sentimental. Já venceu o prémio (Melhor Actor em 1996 por Shine) e já recebeu nomeações prévias e é igualmente o principal productor de The King´s Speech. E move-se pelo meio de Hollywood como um peixe na água. Seria surpreendente que não fosse o ganhador - até porque a sua performance é, imensa, e quase tão protagonista como a do próprio Firth. Se não fosse por Christian Bale.

 

Menino prodigio descoberto por Spielberg, é um dos nomes malditos de Hollywood. Como o seu amigo Heath Ledger - que venceu a estatueta há dois anos por um filme onde ambos contracenaram - é um nome que desperta paixão e ódio em igual medida. Mas não houve em 2010 nenhum desempenho, principal ou secundário, masculino ou feminino, tão intenso como o seu. E isso não se consegue esconder. A vitória no SAG deu-lhe mais força ainda e a sua vitória é a nossa aposta pessoal sabendo que o cenário oposto é igual de verosímel. Não haverá nunca surpresas entre estes dois, apenas uma injustiça tremenda por não se verificar um empate técnico.

 

Na corrida, mas a vê-la bem lá ao longe, Mark Ruffalo, Jeremy Renner e John Hawkes, a grande e grata surpresa entre os nomeados e o único que lhes poderia fazer sombra noutro ano. Neste, com duas performances e duas personagens tão apaixonantes, não tem a minima hipótese.

 

 

E o Óscar vai para - Christian Bale (The Fighter)

E a Surpresa é - Geoffrey Rush (The King´s Speech)

E o Óscar Devia ir para - Christian Bale (The Fighter)

 

 

 

 

 

 

MELHOR ACTRIZ SECUNDÁRIA

 

Corrida apertada até à medula sem uma clara favorita e com todas - mas realmente todas - as nomeadas com possibilidades reais de vencer. E isso já é dizer muito.

 

Há quem aponte que a jovem (e protagonista) de True Grit, a imensa Hailee Steinfeld, está a ganhar apoios para conseguir uma vitória adolescente capaz de lembrar os sucessos pretéritos de Tatum O´Neal e Anna Paquin. Seria uma vitória nada surpreendente dado o sucesso do filme mas seria conseguido por uma actriz que é, claramente, a protagonista do filme e que apenas foi desviada para uma corrida já de si apertada, por puras questões de marketing.

 

A armada inglesa apostará, seguramente, por Helena Bonham-Carter, num dos seus melhores papeis como Elizabeth Bowles, rainha de Inglaterra por surpresa e grande instigadora de toda a narrativa. Os votos ingleses e daqueles que adoraram The King´s Speech podem desencantar uma balança equilibrada, apesar de outros considerarem a actriz como o elo mais fraco de todo o filme. Que não o é.

 

Depois há a australiana Jackie Weaver, assustadoramente imensa no papel de uma matriarca de um gang australiano que decide ajustar contas com a sua ovelha negra, um filho seduzido pelo lado branco da vida. Papel que fez tremer Sundance há mais de um ano e que não foi esquecido na corrida ao Óscar onde uma vitória seria surpreendente para muitos mas inteiramente justa para outros tantos.

 

Sobra, portanto, a dupla de The Fighter, aquela que mais prémios tem acumulado. Amy Adams e Melissa Leo repetem nomeação e partilham o protagonismo de um filme que tocou fundo na alma dos actores. A jovem Adams começa a tornar-se num caso sério de popularidade em Hollywood e o seu papel é um dos mais certeiros do filme. Mas Melissa Leo é igualmente imensa, uma actriz em consagração depois de anos a passear pelo circuito indie, e tem esse voto emocional que tanto pode pesar na mente de alguns votantes. É a nossa aposta mas não é, de longe, uma favorita clara. Aqui tudo pode suceder.

 

 

E o Óscar vai para - Melissa Leo (The Fighter)

E a Surpresa é - True Grit (Hailee Seinfeld)

E o Óscar Devia ir para - Jackie Weaver (Animal Kingdom)

 



Autor Miguel Lourenço Pereira às 11:43
Link do texto | Comentar | favorito

.O Autor

Miguel Lourenço Pereira

.Fundamental.

EnfoKada

.Janeiro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.Ultimas Reviews

Midnight in Paris -
The Ides of March -
A Dangerous Method -
Tinker Taylor Soldier Spy -
Drive -

.Classificação

Excelente-
Muito Bom-
Bom -
Aceitável-
Evitar-

.Pesquisa

 

.Ultimas Actualizações

. Por uma definição justa d...

. Oscarwatch - Melhor Filme...

. Oscarwatch - Melhor Argum...

. Oscarwatch - Melhor Actor...

. Oscarwatch - Melhor Actri...

.Do Autor

Em Jogo

.Categorias

. biografias

. cinema

. corpos...

. estreias

. festivais

. historia opinião

. mitos

. noticias

. obituario

. opinião

. oscares

. oscarwatch 2008

. oscarwatch 2009

. oscarwatch 2010

. oscarwatch 2011

. premios

. reviews

. rostos

. that´s the movies

. trailers

. todas as tags

.Blogs

35mm
7CineArt
A Gente Não Vê
A Última Sessão
Action Screen
Alternative Prision
Ante-Cinema
Antestreia
A Última Sessão
Avesso dos Ponteiros
Bela Lugosi is Dead
Blockbusters
Cantinho das Artes
Cine31
CineBlog
CineLover
CinemeuBlog
CineObservador
CineRoad
CineLotado
Cinema is My Life
Cinema Notebook
Cinema´s Challenge
Cinema Xunga
Cinematograficamente Falando
CinePT
Close Up
Cria o teu Avatar
Depois do Cinema
Dial P for Popcorn
Ecos Imprevistos
Estúpido Maestro
Febre 7 Arte
Final Cut
Grandes Planos
Gonn1000
Grand Temple
High Fidelity
In a Lonely Place
Jerry Hall Father
Keyser Soze´s Place
Maus da Fita
Movie Wagon
Mullolhand CineLog
My One Thousand Movies
My SenSeS
Noite Ameriana
Ordet
O Homem que Sabia Demasiado
O Sétimo Continente
Os Filmes da Gema
Pixel Hunt
Pocket Cinema
Portal do Cinema
Royale With Cheese
Split Screen
The Extraordinary Life of Steed
Um dia Fui ao Cinema
Voice Cinema



.Sites

c7nema
CineCartaz
Cine Estação
Cinema2000
Cinema-PT Gate
DVD Mania
DvD.pt
Em Cena
Lotação Esgotada
Cine História
Cinemateca Lisboa
Eu sou Cinéfilo
Portal Cinema

American Film Institute
British Film Institute
Cahiers du Cinema
Cinémathèque Francaise
Directors Guild of America
Internet Movie Database
Motion Picture Association
Screen Actors Guild
Screen Writers Guild
Sight and Sound
Telerama

Box Office Mojo
Coming Soon
Dark Horizons
Hollywood Reporter
JoBlo
Latino Review
Movie Poster

Premiere
Rope of Silicone
Rotten Tomatoes
Slash Film

Sun Times Chicago

Variety

.Premios e Festivais

Cesares
European Film Awards

Golden Globes
Goya

Oscares

Animation Film Fest
European Film Festival
Festival de Berlim
Festival de Cannes
Festival de S. Sebastian
Festival de Sundance
Festival de Veneza
Roma Film Festival
São Paulo Film Fest
Sitges Film Festival
Toronto Film Festival

Algarve Film Festival
Ao Norte!
Avanca
Black and White
Caminhos
Cinamina
Corta!
Curtas Vila do Conde
DOCLisboa
Fantasporto
FamaFest

Festroia

FIKE
Funchal Film Fest
Imago
Indie Lisboa
Ovar Video

.Oscarwatchers

And the Winner is...
Awards Daily
In Contention
Golden Derby
MCN Weeks
The Envelop
The Carpetbagger
Thompson on Hollywood

.Arquivos

. Janeiro 2013

. Fevereiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

.subscrever feeds