Sexta-feira, 13 de Março de 2009

Gran Torino - O Último Poeta Americano

Sentado no coração da penumbra, mãos ensanguentadas, lata de cerveja aberta ao lado. Rosto sério. Eterno.

 
Clint Eastwood filma como Da Vinci pintava. Até ao mais mínimo detalhe. O seu Cinema (sim, Cinema) pertence a um planeta bem distinto ao que estamos habituados a ver, ano após ano. É de outra era. O enquadramento das sequencias, o jogo de espaço. O silencio, sempre o silencio. E aquele pequeno ruído, aqui e ali. Tudo é orquestrado ao mínimo detalhe. Para no final parecer simples, demasiado simples. Os instrumentos vão-se compondo e os sons, inicialmente dispares, ganham um contorno único…e invadem-nos o ouvido, como o canto da sereia. Para prender-nos, do principio ao fim. Isso é Gran Torino. Isso é Clint Eastwood. Isso é Cinema.

 

 

 

É genial a forma como Eastwood consegue fazer do básico, complexo. E, por muito paradoxal que seja, transformar processos desnecessários em algo elementar. Clint simplifica todos os processos cinematográficos na sua incessante busca da harmonia. Reduz a banda sonora ao máximo, mas o que fica, ecoa-nos na mente. Joga com a luz e sombra como nenhum outro cineasta da história – mas os seus trabalhos de fotografia marcam-nos constantemente em toda a sua filmografia, e neste filme, mais ainda. E transforma actores desconhecidos, alguns provavelmente sem grande potencial (e que desaparecem do radar), em monstros em cena. Porquê? Porque lhes dá personagens com substância. Os filmes de Eastwood são marcados por essa clareza no argumento, por essa profundidade de personagens. E Walt Kowalski, esse polaco amargurado e xenófobo, é mais uma dessas pérolas, dessas que já perdemos a conta depois de tantos anos brindados com estas viagens pela mão do grande fotógrafo.

 

 

 

Sim, Clint é mais do que um realizador. É um fotógrafo. De rostos (já o dissemos antes, sempre o diremos, o maior mestre dos grandes planos da última metade de século), de mãos, de vazios. É um fotógrafo de almas. E transporta essa dimensão a níveis insuspeitos. Troça sempre corrosivamente com as grandes instituições (a família é, em Eastwood, sempre alvo de critica, a Igreja nunca escapa, as grandes corporações, tudo…) e centra-se no indivíduo. Walt Kowalski é o indivíduo. Tem todos os defeitos e preconceitos que nos fariam odiá-lo. E fosse outro. Mas é ele. É parte da América que nunca nenhum outro cineasta soube captar. Faz do quotidiano, poesia. E cada vez que rosna a quem o rodeia, inspira ternura…nunca ódio. E assim era Frank Dunn, e assim era Red Garnett, e Bill Munny…e perdemo-nos a conta.
 
No meio de tudo isto a história, que é o que funciona sempre sobre rodas, quase se torna desnecessária. Eastwood filma temas e aqui eles não faltam. A velhice e o afastamento progressivo dos núcleos familiares modernos está lá. As relações multi-culturais numa América onde vemos tailandeses a gritar a latinos para que voltem para o seu país, onde um irlandês, um italiano e um polaco reivindicam uma bandeira que não é de ninguém…enfim, sem grande barulho, há quem não precise de torres de babel para deambular sobre o multiculturalismo. E, acima de tudo, há, outra vez, a amizade. Essa improvável relação de amizade que sempre está aí…de A Perfect World a Million Dollar Baby…aqui, outra vez, temos esse aperto de mão particular que é também a mensagem final. Nem sempre aqueles que nos estão mais próximos, aqueles que mais queremos são os que nos correm no sangue. Com Clint, nunca é assim…Muitos pensavam que este seria mais um rosto - envelhecido - do Dirty Harry que marcou (tão injustamente) a carreira de actor de Eastwood. Ms Stan não é o implacável detective. É o homem comum de classe média norte-americano, filho de emigrantes que nos seus dias mudou-se para os suburbios e construiu uma familia que, como tantas, se foi desfazendo face à incompreensão geracional que marcou as últimas décadas da sociedade ocidental. É um homem preparado para aguentar tudo, capaz de suportar uma guerra, hábil de mãos, com rápida destreza de mente, mas preso aos seus ideais, imutáveis perante o avançar do tempo. Mas apesar de tudo, é um Ser que reconhece a mudança do tempo e está, inclusivé, disposto a sacrificar-se pelo que antes seria incapaz de mover um dedo. O que mudou? A vida. Kowalski é o exemplo perfeito do envelhecimento fisico e do rejuvenescimento mental. Apesar de todo os preconceitos que o acompanham, Kowalski redescobre a vida no meio da amargura. E está disposto a tudo para preservar esse pequeno campo de pureza, tal vez a mesma ilusão inconfensável que teria ele, desde os dias em que pela primeira vez viu na linha de montagem aquele Gran Torino.

 

 

 

Gran Torino foi anunciado como o filme que despedía o Clint actor. E nem vamos falar de Óscares (até porque conta já com quatro, entre realizador e productor) porque Eastwood é como esses grandes nomes do passado (Capra, Ford, Hawks, Wilder, Hitchock, Renoir,..onde é até insultuoso reduzir tudo a uma estatueta). 

A verdade é que Eastwood nunca foi um grande intérprete, mas o seu carisma enche o ecrã, como acontece com poucos actores hoje. Mas ao sair da sala o grande receio que nos entra é o mesmo de sempre. Que este seja o último filme de Clint Eastwood que possamos ver no cinema. O tempo é cruel e os anos vão passando. Há muitos projectos pendentes, mas o receio está lá. Sempre! Quando este fotógrafo de almas deixe a câmara ficará uma certeza. Ter-se-á apagado a última grande luz que nos deu o cinema norte-americano. Com Clint Eastwood termina-se um ciclo. E Gran Torino confirma-o (e quantas vezes já não o pensamos antes?). 

 

Não houve, nos últimos quarenta anos, um cineasta tão grande como Clint. Houve-os (e há-os) bons, muito bons. Mas como este poeta americano, este retratista da Humanidade, nunca mais haverá ninguém. Escrevam-no bem!
 

 

Classificação -

 

Realizador - Clint Eastwood

Elenco - Clint Eastwood, Bee Vang, Christopher Carley

Productora - Warner Bros.

Classificação - m/16

 

 

Categorias:

Autor Miguel Lourenço Pereira às 14:12
Link do texto | Comentar | favorito
4 comentários:
De Tiago Ramos a 13 de Março de 2009 às 16:41
Ainda não tive oportunidade de ver Gran Torino, mas está na minha agenda, com toda a certeza.

Excelente, excelente crítica.


De Miguel Lourenço Pereira a 13 de Março de 2009 às 21:14
Muito obrigado Tiago,

Quando se tem a oportunidade de escrever sobre uma obra que marca, um autor que, só por si, é inspiração continua, tudo sai mais facilmente.

Um abraço


De Cristina Pereira a 13 de Março de 2009 às 17:25
Sem duvida, o retrato mais fiel da sociedade não só americana (símbolo) mas sobre a sociedade em geral. Porque assumimos ser tão diferentes" e no entanto todos vivemos sob a mesma ameaça: quem temos "ao lado" ?...
Sem nunca acabar de saber o que nos define realmente dentro daquilo a que chamamos "Nação".

Uma crítica á altura do filme...e do autor.


De Miguel Lourenço Pereira a 13 de Março de 2009 às 21:16
Palavras e sentimentos que arrancam a mais escura penumbra de qualquer dia.

Um filme que marca...ainda mais quando a mão sente a outra, ardente, numa simbiose eterna.


Comentar post

.O Autor

Miguel Lourenço Pereira

.Fundamental.

EnfoKada

.Janeiro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.Ultimas Reviews

Midnight in Paris -
The Ides of March -
A Dangerous Method -
Tinker Taylor Soldier Spy -
Drive -

.Classificação

Excelente-
Muito Bom-
Bom -
Aceitável-
Evitar-

.Pesquisa

 

.Ultimas Actualizações

. Por uma definição justa d...

. Oscarwatch - Melhor Filme...

. Oscarwatch - Melhor Argum...

. Oscarwatch - Melhor Actor...

. Oscarwatch - Melhor Actri...

.Do Autor

Em Jogo

.Categorias

. biografias

. cinema

. corpos...

. estreias

. festivais

. historia opinião

. mitos

. noticias

. obituario

. opinião

. oscares

. oscarwatch 2008

. oscarwatch 2009

. oscarwatch 2010

. oscarwatch 2011

. premios

. reviews

. rostos

. that´s the movies

. trailers

. todas as tags

.Blogs

35mm
7CineArt
A Gente Não Vê
A Última Sessão
Action Screen
Alternative Prision
Ante-Cinema
Antestreia
A Última Sessão
Avesso dos Ponteiros
Bela Lugosi is Dead
Blockbusters
Cantinho das Artes
Cine31
CineBlog
CineLover
CinemeuBlog
CineObservador
CineRoad
CineLotado
Cinema is My Life
Cinema Notebook
Cinema´s Challenge
Cinema Xunga
Cinematograficamente Falando
CinePT
Close Up
Cria o teu Avatar
Depois do Cinema
Dial P for Popcorn
Ecos Imprevistos
Estúpido Maestro
Febre 7 Arte
Final Cut
Grandes Planos
Gonn1000
Grand Temple
High Fidelity
In a Lonely Place
Jerry Hall Father
Keyser Soze´s Place
Maus da Fita
Movie Wagon
Mullolhand CineLog
My One Thousand Movies
My SenSeS
Noite Ameriana
Ordet
O Homem que Sabia Demasiado
O Sétimo Continente
Os Filmes da Gema
Pixel Hunt
Pocket Cinema
Portal do Cinema
Royale With Cheese
Split Screen
The Extraordinary Life of Steed
Um dia Fui ao Cinema
Voice Cinema



.Sites

c7nema
CineCartaz
Cine Estação
Cinema2000
Cinema-PT Gate
DVD Mania
DvD.pt
Em Cena
Lotação Esgotada
Cine História
Cinemateca Lisboa
Eu sou Cinéfilo
Portal Cinema

American Film Institute
British Film Institute
Cahiers du Cinema
Cinémathèque Francaise
Directors Guild of America
Internet Movie Database
Motion Picture Association
Screen Actors Guild
Screen Writers Guild
Sight and Sound
Telerama

Box Office Mojo
Coming Soon
Dark Horizons
Hollywood Reporter
JoBlo
Latino Review
Movie Poster

Premiere
Rope of Silicone
Rotten Tomatoes
Slash Film

Sun Times Chicago

Variety

.Premios e Festivais

Cesares
European Film Awards

Golden Globes
Goya

Oscares

Animation Film Fest
European Film Festival
Festival de Berlim
Festival de Cannes
Festival de S. Sebastian
Festival de Sundance
Festival de Veneza
Roma Film Festival
São Paulo Film Fest
Sitges Film Festival
Toronto Film Festival

Algarve Film Festival
Ao Norte!
Avanca
Black and White
Caminhos
Cinamina
Corta!
Curtas Vila do Conde
DOCLisboa
Fantasporto
FamaFest

Festroia

FIKE
Funchal Film Fest
Imago
Indie Lisboa
Ovar Video

.Oscarwatchers

And the Winner is...
Awards Daily
In Contention
Golden Derby
MCN Weeks
The Envelop
The Carpetbagger
Thompson on Hollywood

.Arquivos

. Janeiro 2013

. Fevereiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

.subscrever feeds